Um dos problemas que mais afligem os novos e mesmo antigos imigrantes brasileiros, não é o idioma ou o desemprego, mas sim o acúmulo de dívidas. Muitos olim chadashim veem as dívidas crescendo incontrolavelmente, mas não sabem o que fazer para resolver ou negociar as dívidas.

Há anos, venho praticando minha profissão de advogado em Israel. Tive a oportunidade de lidar com muitos casos de negociações de dívidas de clientes além da falência de muitos outros. Minha experiência profissional me ensinou muita coisa.

Na maioria dos casos, as dívidas daqueles que procuram a minha ajuda, não são geradas por uma fonte única, elas são provenientes de vários eventos e más decisões financeiras que se acumulam e se tornam uma bola de neve.

Dívidas não são acidentes! Elas não “acontecem” de forma inesperada, mas são criadas única e exclusivamente por nós!

São três os principais fatores que tornam qualquer dívida, uma verdadeira catástrofe financeira. O primeiro e mais prejudicial é o medo de enfrentar as dívidas e a realidade. Este medo além de fazer com que ignoremos as dívidas, nos afasta dos cobradores até o ponto de nos escondermos.

Outro fator é a inocência, que nos leva a negociar as dívidas de maneira não profissional, tornando sua quitação inviável. Este fator, em muitos casos, é o maior responsável pelo acúmulo incontrolável das dívidas.

O terceiro e último fator é a ilusão. Ela é responsável por nos cegar e nos fazer pensar que a melhor maneira de quitar nossas dívidas, é através de um novo empréstimo.  Aqui começa, na minha opinião, a decadência que nos levará a um lugar apenas, o fundo do poço.

Quando estes fatores convergem, suas dívidas irão se tornar o pior pesadelo de sua família.

Que é uma dívida?

Em Israel, um débito ou um saldo negativo pode ser legalmente executado, quase imediatamente, quando se torna uma dívida. Então, é importante entendermos o que é uma dívida de acordo com a legislação israelense.

Se você tem uma hipoteca ou pediu um empréstimo a um banco, a legislação israelense não entende que você tenha dívidas, desde que as parcelas ou prestações sejam pagas em dia. A dívida começa quando você deixa de pagar as parcelas e elas acumulam. Ao valor total acumulado e não pago, serão acrescidos os juros contratuais e a correção monetária altíssimos. Isto é agora uma dívida.

Vale lembrar, que em Israel, as dívidas não caducam ou congelam, elas se acumulam e crescem. Em Israel, a correção monetária e os juros, transformam eventualmente qualquer dívida em uma bola de neve.

A maneira correta de se cobrar uma dívida em Israel

A Otssaá LaPoal é o órgão israelense responsável pela execução de dívidas. Acreditem em mim quando eu digo que este não é um lugar agradável de se conhecer.

Na Otssaá LaPoal as dívidas são legalmente executas, este órgão tem o poder por exemplo de congelar todas as suas contas, cartões de crédito. E impedir você de sair de Israel por tempo indeterminado até você quitar a dívida.

Nome limpo ou nome sujo na praça: 

Em Israel não existem pessoas com nomes limpo ou sujo na praça. Em vez disso, há uma classificação de crédito para pessoas físicas e jurídicas. Ela é baseada em nosso histórico e as informações que a alimentam, obtidas facilmente através de relatórios do Banco Central, instituições financeiras, tribunais e em alguns casos, até detetives particulares.

Para saber a classificação de crédito de alguém, basta conhecermos seu histórico financeiro. O que possuímos, nosso capital, salário, gastos, dívidas, tudo é analisado.

A partir desta classificação, bancos e demais instituições financeiras são capazes de avaliar os riscos de uma relação financeira. De acordo com nossa classificação, um banco irá decidir por exemplo, se somos capazes de assumir obrigações financeiras como empréstimos ou hipoteca.

As informações colhidas de nosso histórico são divididas em dois grupos, negativas e positivas.

As informações negativas, incluem dados necessários para que seja feita uma análise da nossa capacidade de honrar nossas obrigações e efetuar o pagamento de prestações por exemplo. Enquanto isso, as informações positivas avaliam nossas dívidas e empréstimos existentes.

A psicologia das dívidas

A maioria das pessoas endividadas são vítimas de suas próprias ações. São por exemplo, devedores que acreditam, de maneira errada, ser melhor quitar dívidas de valores menores. São pessoas ingênuas preocupadas com a quantidade de dívidas e não com o valor total de cada uma das dívidas, além dos juros e correção monetária.

Enquanto essas pessoas pagam as dívidas menores e tem a falsa sensação de estar “caminhando em direção a luz no fim do túnel”, de progressão, a corda em seus pescoços vai apertando.

Não se preocupe com a quantidade de dívidas, mas sim com o perigo eminente de cobrança que cada uma delas representa. Aquelas com juros maiores por exemplo, devem ser as primeiras a serem enfrentadas.

Fato: existem aqueles que contraíram dívidas tão altas que estas jamais serão quitadas. Nestes casos, infelizmente, só há uma opção, a falência que deve ser seriamente considerada como uma opção.

Como as dívidas podem te afetar?

Emocionalmente falando, as dívidas geram um impacto diferente em cada um de nós. Algumas pessoas podem ser levadas ao desespero pelo simples fato de não serem capazes de quitar uma conta. Outras, lidam melhor com a situação e com a falta de dinheiro.

Sem levarmos em consideração a natureza das dívidas ou sua quantia, é possível identificarmos determinadas consequências emocionais comuns a todos os inadimplentes. Entre estas consequências a mais perigosa de todas é a negação.

A Negação

Enquanto algumas pessoas enfrentam de cara os problemas e as dívidas, outras optam por negar a sua existência. Este é o pior caminho. Dívidas não podem ser ignoradas, pelo menos não por muito tempo. Se agir assim, você logo irá descobrir que suas ações contribuíram apenas para elevar o valor de sua dívida à somas exorbitantes.

Deixar de abrir a correspondência, contas e advertências de bancos. Não atender a telefonemas, ou tentar despistar credores. Nada disso fará seus problemas desaparecerem. Muito pelo contrário, estas ações transformarão uma simples dívida em um transtorno na sua vida.

Consequência da negação

Além das consequências psicológica, que eu infelizmente já vi serem capazes de destruir famílias e seu sonho de morar em Israel, a negação é responsável também por outras consequências que podemos chamar de técnicas.

As consequências técnicas da negação podem afetar o fornecimento dos serviços mais básicos para você e sua família. Assim, você estará sujeito ao despejo, apreensão do veículo, congelamento da conta bancária, retenção do salário e com certeza, terá de responder a um Processo de Execução de Dívidas na Otssaá LaPoal.

Em alguns casos você ter até seu direito de ir e vir limitado e será proibido de deixar o país. Quando uma “Ordem de Impedimento de Saída do País” é emitida pela justiça israelense, ela dificilmente será revogada.

Assim, se você está inadimplente, o primeiro passo para sair do buraco é assumir a responsabilidade e enfrentar as suas dívidas. Não procure culpados e não culpe o sistema.

O que você não deve fazer

Não negocie diretamente com os credores! Peça a ajuda de um advogado especializado.

Não quer envolver um advogado, mesmo isto sendo desaconselhável, tudo bem. Aqui vão os mandamentos mais importantes casos de renegociação de dívidas.

Não enfrente os credores e seus funcionários! O antagonismo irá apenas prejudicar, crie uma relação amistosa e gere a empatia da outra parte. Desta forma, será mais fácil chegar a um acordo.

Não faça promessas que não pretende ou pode cumprir! Até mesmo aquela simples frase “já te ligo”, quando você não tem a intenção de ligar, deve ser evitada. A confiança entre as partes é extremamente importante.

Seja prático, realista e objetivo e evite discussões.

Não assuma um novo empréstimo para pagar suas dívidas já existentes sem antes calcular muito bem o valor das parcelas, juros e correção monetária.

Cuidado com o cartão de crédito! Em Israel as regras de cartões de crédito são diferentes do Brasil. Aqui não existe por exemplo a ilusão do refinanciamento da dívida, o máximo que você obterá é um empréstimo para quitar a fatura do cartão e quando fizer isso entrará em um círculo vicioso com um potencial desastroso.

Cuidado com a propaganda e fique de olho na taxa de juros! Diversas empresas oferecem vários serviços de crédito com diferentes nomes, mas no final, esses serviços têm uma única tradução para o português, empréstimo.

Lembre-se, todos os bancos e instituições financeiras têm o mesmo objetivo, lucrar. Eles farão de tudo para te vender dinheiro rápido em troca de altas taxas de juros.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support